skip to Main Content
contato@academiadeletrasdobrasil.org.br

Sustentabilidade econômica do indivíduo

Quando falamos de sustentabilidade econômica do indivíduo, lembramos imediatamente de questões como emprego, renda e endividamento, mas esses não são os únicos fatores que influenciam decisivamente na sustentabilidade econômica e na vida das pessoas.

Todos almejamos sempre ter saúde, se realizar, alcançar a felicidade e viver com amor, mesmo que estes sejam sentimentos supremos que levam o ser humano ao êxtase, é bastante difícil que sejam alcançados sem a satisfação de necessidades básicas como alimentar-se, morar, etc.

Para que tenhamos uma saúde perfeita é imprescindível que possamos nos alimentar, fazer nossa higiene, e repousar de modo que nosso corpo mantenha sua estruturação biológica saudável.  Assim como para nos realizarmos, temos também que ter condições psicológicas para sabermos o que queremos, para fazer as melhores escolhas e agir com assertividade.

Uma pessoa que não é, ou não está organizada financeiramente experimenta uma situação semelhante a andar em uma montanha-russa que não conhece o trajeto. Em momentos está tudo bem, mesmo sem saber como ou porque, as contas fecham, o dinheiro chega até o final do mês e conseguimos pensar e começar a planejar nossos planos e sonhos. De repente, por algum motivo no mês seguinte, o seu dinheiro não dura até o final do mês. É preciso pagar as obrigações, comprar comida, manter-se. Qual a saída? Pedir auxilio à família ou a amigos? E se estes não puderem ajudar? Pedir ao banco ou a empresa? Endividar-se?

Esta é uma situação que acontece comumente na nossa sociedade, mas mesmo que se consiga o dinheiro para “cobrir o furo” desse mês, se não é tratada a causa do problema, a causa que gera essa insegurança sobre como será o mês que vem, a montanha-russa continuará.

É preciso antes de qualquer coisa conhecer-se, conhecer seus hábitos, seus costumes, seus desejos e seus pontos vulneráveis. Sustentabilidade econômica não depende de quanto você ganha, depende de quanto você se conhece, de quanto você conhece suas habilidades, suas competências e suas possibilidades e do quanto você está disposto a agir para se sustentar economicamente.

É antes de tudo um mergulho profundo no que se é, é uma revisão crítica de cada um dos seus atos e escolhas. Eles são coerentes com tudo aquilo que você quer e deseja? Está fazendo o que precisa ser feito para realizar seus sonhos? Assim é possível começar a desenvolver uma consciência sobre a atual situação e a responder por todos os resultados que obtive até agora. Além disso, também é uma decisão pessoal e serena, mas muitíssimo séria. É escolher onde se quer chegar e fazer os sacrifícios necessários para essa realização. Essa é a reciprocidade necessária para realizar seus sonhos.

Existem muitas ferramentas e métodos de organização financeira pessoal que são ótimos e sem dúvida nenhuma fazem muita diferença, facilitam e ajudam a chegar na sustentabilidade econômica, mas nenhum deles é eficiente sem se conhecer e se responsabilizar por si.

Ana Pregardier

Escritora e Educadora
Membro Vitalício ALAC-BR